Longin no Blog Aqui

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Daniel Gonzaga, Dominguinhos e Gil lembram Gonzaga com festa em Exu

O 13 de dezembro de 2012 estava sendo esperado pelos pernambucanos há bastante tempo: a celebração pelo centenário de Luiz Gonzaga já estava no calendário cultural do estado e caravanas de várias cidades - mesmo de estados vizinhos - foram para a terra do Rei do Baião, para curtir a festa em Exu. No dia do nascimento do velho Lua, o neto Daniel Gonzaga, o herdeiro Dominguinhos e o admirador Gilberto Gil foram as atrações do principal palco montado na cidade, onde se apresentaram gratuitamente. O humorista João Cláudio Moreno, conhecido por ser um dos grandes imitadores da voz de Luiz Gonzaga, foi o mestre de cerimônia da noite, convidando o público para curtir os shows. No palco que leva o nome do homenageado, a primeira atração foi no estilo de "Gonzaga - de pai para filho”. O filho de Gonzaguinha, Daniel Gonzaga, cantou os grandes sucessos do avô - entre elas, músicas que o cantor de Exu fez em parceria com Zé Dantas, como "Riacho do navio". Outro parceiro lembrado foi Humberto Teixeira, com a canção “No meu pé de serra”. Com sotaque carioca e timbre de voz muito parecido com o do pai, Daniel lembrou também Gonzaguinha com “Feliz”, que manteve o tom nostálgico da festa. Para terminar, uma música que ele disse ter esperado um ano inteiro para cantar e convidou o público, que a esta hora já lotava o local. "Asa branca" recebeu uma nova roupagem na voz do neto mais velho de Gonzaga.
Faltava pouco para as 23h quando Dominguinhos chegou ao palco. O público vibrou com a presença do herdeiro legítimo de Gonzagão, assim intitulado pelo próprio Rei do Baião. O pernambucano de Garanhuns começou a apresentação fazendo um dueto com um clarinetista. Em seguida, tratou logo de animar os súditos do aniversariante com o sucesso "Forró no Escuro" - "O candeeiro se apagou, o sanfoneiro cochilou, a sanfona não parou e o forró continuou" - e manteve o ritmo da festa. E para que as apresentações continuassem de pai para filho, Dominguinhos chamou a filha Liv Moraes para cantar com ele. Entre as músicas, "Sabiá", outro grande sucesso do Rei do Baião. E mais um convidado apareceu no show de Dominguinhos, em um estímulo à renovação do forró. O menino Cícero Paulo Feitosa, de 8 anos, tocou acordeom junto ao sanfoneiro de Garanhuns. Cícero é de Juazeiro do Norte (CE) e participou do elenco do filme “Gonzaga de pai para filho". Era meia-noite quando Gilberto Gil subiu ao palco em Exu. Declarado fã e admirador do Rei do Baião, a quem atribui a condição de "primeiro ídolo da infância", o baiano começou o show com "Fé na festa", "Dança da moda" e "Assim, sim". Clássicos de Gonzaga que ganharam interpretações consagradas também na voz de Gil, como "Qui nem jiló", "Vem, morena" e "13 de dezembro", foram entoadas pelas milhares de pessoas que compareceram ao Módulo Esportivo, bem como "Baião da Penha", "Eu só quero um xodó", "Óia eu aqui de novo", "Expresso 2222" e "Lamento sertanejo" - esta última, uma parceria de Gil com Dominguinhos. Apesar de dominar o instrumento, Gil não tocou sanfona - mas não perdeu a chance de dançar um xaxado junto com a plateia pernambucana. Aqueles que admiram o baiano por sua ligação com o reggae não saíram decepcionados, porque ele também lembrou Bob Marley com "Three little birds" - compositor que foi homenageado por Gil no disco "Kaya n'gan daya", de 2002. O show teve de tudo: forró, baião, samba, reggae. Mas o ponto alto não poderia ser outro: com "Asa branca", o hino nordestino de Gonzaga e Humberto Teixeira, Gilberto Gil iniciou a despedida do público, feliz pela comemoração de um aniversário inesquecível.
Compartilhar:
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

faça aqui seu comentarios sobres materia postadas.

Quixelô FM 104,9

Nosso Facebook

Seguidores

Meus Blogs

As Mais Lidas do Mês

De Onde nos Visitam