Longin no Blog Aqui

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Quixelô promove Festival do Peixe


Quixelô Na última década, cresceu o número de projetos de criação de tilápias em gaiolas instaladas em várias comunidades ribeirinhas no Açude Orós, o segundo maior do Estado. Para comemorar os resultados positivos de aumento da renda familiar e melhoria de vida, centenas de piscicultores participaram ontem, na localidade de Jiqui, zona rural deste Município, Centro-Sul do Ceará, do II Festival do Peixe de Quixelô.

O evento foi promovido pela Secretaria de Agricultura do Município, em parceria com várias instituições que apoiam o projeto produtivo. Os primeiros criatórios começaram a ser implantados há dois anos e hoje totalizam nove grupos, beneficiando 124 piscicultores nas localidades de Jiqui, Boa Vista, Ilha Grande e Vassouras, no entorno do Açude Orós. Foram investidos R$ 1,5 milhão por meio do Programa de Desenvolvimento Regional Sustentável (DRS), do Banco do Brasil, com recursos do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

Os piscicultores comercializam o quilo do pescado a R$ 4,50 e a produção atual está em torno de 60 toneladas. Em toda a bacia do Açude Orós a produção chega em média, por mês, a 340 toneladas, oriundas de 40 grupos associativos de criação de tilápias e de sete mil tanques redes. "Essa produção é o dobro da verificada no Açude Casta-nhão", observa o engenheiro de pesca, Paulo Landim. "O mercado é amplamente favorável e a demanda é crescente".

Atravessador

O prefeito de Quixelô, Gilson Oliveira, disse que era preciso eliminar gradativamente a presença do atravessador que impõem um preço reduzido para os produtores. Durante o evento, Oliveira solicitou do assessor da Secretaria de Aquicultura e Pesca do Estado, Ricardo Campos, apoio para aquisição de um caminhão frigorífico e de uma fábrica de gelo. "Os projetos estão em expansão, a procura pelo pescado e precisamos de mais investimentos", disse. "O setor está em crescimento e quem produz pescado está satisfeito com a nova atividade econômica que amplia a renda familiar".

A secretária de Agricultura de Quixelô, Marta Rocha, disse que o Município vai continuar investindo em atividades produtivas para beneficiar a agricultura familiar. "Vimos o potencial das águas do Açude Orós e tivemos a ideia de aproveitá-la implantando projetos de criação de pescado em tanques-redes", disse. "A ideia deu certo e os pescadores divididos em grupo mantêm outras atividades econômicas".

Para o vice-prefeito de Quixelô, José Simão, o exemplo dos projetos associativos de produção implantados na região de Jiqui, na zona rural de Quixelô, é um exemplo a ser seguido por outras comunidades. "Em pouco tempo há resultado satisfatório de ampliação da renda familiar e da autoestima dos pescadores", disse. "Muitos filhos de Quixelô que estavam trabalhando em outras cidades e Estados estão retornando porque acreditam na viabilidade dos criatórios de tilápia".

Programação

O Festival do Peixe de Quixelô inclui apresentações culturais de jovens da comunidade, concurso de histórias de pescador, concessão de comendas e palestras sobre temáticas ligadas à atividade. As perspectivas da pesca no Ceará e as formas de atuação do programa de Desenvolvimento Regional Sustentável do Banco do Brasil foram explanadas para os participantes.

O evento foi realizado nas margens do Açude Orós e foram instaladas cinco tendas para proteger os participantes do sol.

Enquanto que a maioria dos agricultores lamentam as perdas da lavoura tradicional de grãos por causa da seca que atinge o sertão do Ceará, os pescadores do entorno do Açude Orós comemoram os bons resultados com a atividade de criação intensiva de pescado. "Os resultados estão bons e estamos satisfeitos", disse o piscicultor, Eugênio dos Santos. Em média, a renda de cada família cresceu cerca de R$ 500,00 por mês.

Positivo

O gerente geral da agência do Banco do Brasil, em Orós, Hélio Pinto, disse que as primeiras avaliações sobre o projeto de piscicultura instalados no reservatórios são positivos, mas por enquanto não haverá novos investimentos. "Os resultados mostram que houve inclusão social, ampliação da renda familiar e da autoestima", frisou. "Há potencialidade, a demanda é crescente, mas precisamos crescer com segurança e sustentabilidade".

O projeto de piscicultura é implantado em parceria com o Banco do Brasil, Banco do Nordeste, Sebrae, CVT, Instituto Elo Amigo, Governo do Estado e Prefeitura Municipal.

Mais informações:

Prefeitura de Quixelô
Secretaria Municipal de Agricultura
Região Centro-Sul
Telefone: (88) 3579. 1179
Compartilhar:
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

faça aqui seu comentarios sobres materia postadas.

Quixelô FM 104,9

Nosso Facebook

Seguidores

Meus Blogs

As Mais Lidas do Mês

De Onde nos Visitam