Longin no Blog Aqui

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Réveillon pode sair 200% mais caro que o Natal

Viajar em dezembro sempre é mais caro, por se tratar de alta temporada. Mesmo assim, diversos brasileiros só conseguem tirar férias nesse período ou aproveitam os feriados do mês para conhecer novos lugares. Para ver a queima de fogos em Fortaleza, por exemplo, o consumidor precisa preparar o bolso. Há pacotes que variam de 27% a 213% no valor, dependendo da operadora, se comparado ao período natalino Foto: Alex Costa Com o aumento do fluxo turístico nos principais destinos do País, as agências ampliam a oferta de pacotes, que ficam mais "salgados" no Réveillon. A depender do que está incluso e da abrangência da estadia, a variação dos preços chega a ser maior que 200% , frente ao Natal. Para ver a queima de fogos em Fortaleza, por exemplo, o consumidor precisa preparar o bolso. Uma viagem de quatro noites (sem passagem aérea) pela New Line Operadora custa R$ 528 no período natalino. Já o pacote de cinco noites para a Capital no Ano-Novo está sendo vendido a R$ 1.653, aproximadamente duas vezes mais caro (213%). Já na CVC, a diferença é de 27,47%. O pacote de oito noites para o Natal (passagem aérea, traslado e hospedagem) está sendo vendido por R$ 1.820, valor que sobe para R$ 2.320 no período do Réveillon. Ainda pela CVC, um pacote para o Natal de oito dias para a praia de Porto de Galinhas (PE) é comercializado a R$ 1.480. No Ano-Novo, o valor sobe para R$ 3.890, uma diferença de 162,84%. A variação é maior entre os pacotes da Litoral Verde Viagens, que também incluem passagem aérea, traslado e hospedagem. Passar cinco dias do período natalino em Porto de Galinhas custa R$ 1.326. O preço atinge R$ 4.853 no Réveillon, quase três vezes mais caro (266%). Pela New Line Operadora, a diferença é de 154%. Enquanto um pacote, tendo como destino essa praia do litoral pernambucano, (sem passagem aérea) de quatro noites para o Natal é vendido por R$ 933, outro de cinco noites para o Ano-Novo vale R$ 2.374. Nordeste Neste período, viagens para o litoral nordestino costumam ser mais caras. Na CVC, o consumidor encontra um pacote natalino de oito dias na Praia do Forte (BA) por R$ 2.990. Na passagem do ano, o valor salta para R$ 7.280, 143,48% mais caro. Para Maceió (AL), os valores abrangendo o Natal e o Ano-Novo são, respectivamente, de R$ 1.490 e R$ 2.190, uma variação de quase 47%. Para Natal (RN), a Litoral Verde Viagens está comercializando um pacote natalino de quatro dias por R$ 1.405, preço que atinge R$ 3.627 no Réveillon, 158% mais caro. Foz do Iguaçu Outro destino bastante procurado em dezembro é Foz do Iguaçu (PR). Na CVC, um pacote de cinco dias (passagem aérea, traslado, hospedagem e passeios) custa R$ 970 para o período natalino e R$ 1.610 no Ano-Novo (variação de cerca de 66%). Pela Litoral Verde Viagens, os valores referentes a quatro diárias para o Natal e Réveillon são R$ 1.570 e R$ 2.275, respectivamente (variação de 44,9%). A vice-presidente da Associação Brasileira das Operadoras de Turismo (Braztoa), Magda Nassar, justifica os preços de pacotes para o Réveillon dizendo que, diferentemente do Natal, a data está inserida na alta temporada. "O período natalino ainda faz parte da baixa temporada ou, no máximo, média. O Ano-Novo, além de ser alta estação, é uma época nobre", justifica. Hotéis e passagens caros Por outro lado, ela explica que a diferença dos valores está ligada, sobretudo, à alta das diárias dos hotéis e das passagens aéreas, que ficam mais caras no Réveillon e refletem nos pacotes disponibilizados pelas empresas de turismo. "Os preços nos hotéis são os que mais aumentam, chegando a ser sete vezes mais caros. É uma questão de oferta e procura. As operadoras montam seus produtos, mas a variação, quando é repassada ao consumidor, fica entre 5% e 10%", destaca Magda Nassar. Segundo ela, durante o período, os valores em hotéis nacionais chegam a ser maiores que em internacionais. Resorts Segundo a vice-presidente da Braztoa, a procura por destinos do litoral nordestino no Réveillon cresce a cada ano, principalmente nos estados do Ceará, Rio Grande do Norte, Alagoas e Bahia, diante da construção de vários resorts. "São polos que estão bem consolidados". Hotéis: 100% de ocupação na Capital O setor hoteleiro cearense está bastante otimista para a temporada que engloba o período de Réveillon. A expectativa é de que as ocupações cheguem a 100% neste ano. Atualmente, as reservas estão em 86,92% contra 90,96% registradas no ano passado. É o que afirma a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Ceará (ABIH-CE).Enquanto o período de fim de ano prevê lotação nas acomodações de Fortaleza, as vendas nos hotéis e pousadas estão em baixa para o mês de janeiro. Passagens aéreas e período de férias escolares são apontados como causas Foto: Lucas de Menezes A previsão de ocupação total também se mantém entre as pousadas e estabelecimentos de hospedagem menores, afirma o presidente da Associação dos Meios de Hospedagem e Turismo do Ceará (AMHT), José Walden Lins. "A procura está bastante elevada. A maior parte dos nossos associados já está sem vaga. Já estamos com quase 100% de lotação", comemora. Responsável por uma das maiores festas de Réveillon do Brasil, o Hotel Marina Park é um dos estabelecimentos com quase todos os leitos ocupados. De acordo com a gerente comercial, Ana Luiza Costa Lima, apenas as suítes mais luxuosas estão disponíveis. "As pessoas deixam para a última hora quando são acomodações com valores altos", diz. Acostumado a receber pessoas em busca turismo de negócios na Capital cearense, o hotel Luzeiros observa uma mudança de público durante o fim de ano e passa a contar, no Réveillon com turistas a procura de lazer. Conforme a gerente comercial, Mila Costa Lima, a expectativa de ocupação para o Réveillon é de 90%, embora ache que o número deva ser superior. "No ano passado conseguimos chegar a 96,04%. O que tenho vendido até hoje é 78%", comenta. Com 60% das acomodações vendidas, o Gran Marquise Hotel também prospera chegar ao número total. "A nossa expectativa é de atingir 98% a 100%. Cada vez mais as pessoas estão reservando no último momento. No ano passado chegamos a 98%", prevê o gerente geral, Phillipe Godefroit. Incremento Diferente de todos os outros anos anteriores, quando Fortaleza recebia apenas turistas em busca de lazer, 2013 registrou um diferencial no público visitante. Conforme Darlan, o turismo de eventos tem alavancado o setor, que hoje conta com hóspedes em busca de interesses divididos nas duas áreas. "Antes do Centro de Eventos, as pessoas procuravam Fortaleza exclusivamente por causa sol, da praia e do lazer. Hoje demos um upgrade. Este incremento que a gente já começa a sentir é exatamente por causa do turismo de eventos", comemora. Alta estação ainda em baixa Se por um lado o fim do ano é de boas expectativas, o mesmo não acontece quando o assunto é o mês de janeiro, considerado pelo setor o período de maior alta estação em Fortaleza. Os altos preços nas passagens aéreas é uma das queixas dos empresários e funcionários do trade turístico cearense. Outro fator que vem atrapalhando as vendas é o período de férias escolares, que retoma às atividades no dia 15 de janeiro em algumas em algumas instituições de ensino. "Achamos que não vai ser um bom reflexo para nós da hotelaria", lamenta o gerente do Gran Marquise. "A primeira quinzena de janeiro está se comportando bem, mas segunda está bem atrapalhada. Muitos dizem que é por conta das férias que estão sendo comprometidas por causa da Copa do Mundo", complementa a gerente do Marina Park. ANA BEATRIZ SUGETTE REPÓRTER
Compartilhar:
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

faça aqui seu comentarios sobres materia postadas.

Quixelô FM 104,9

Nosso Facebook

Seguidores

Meus Blogs

As Mais Lidas do Mês

De Onde nos Visitam